A importância do outro e do eu

Outro

Na direção da terceira pessoa do singular, muitas questões se envolvem, dentre elas o que pensam de mim, como sou visto, como eu poderia ficar melhor para agradar ou o que o outro sente quando eu faço algo ou como o outro é. Porque não pegar tudo isso e trazer para si, conjugando os verbos na primeira pessoa. Pense sempre, ou na maioria das vezes: O que eu penso de mim, como eu quero ser visto, como posso me agradar mais e se o que eu faço me dá prazer. Algumas respostas podem dar um melhor sentido nesta busca e na formação do EU. Devemos encarar a vida como uma construção, mas para isso o arquiteto deve ser você, o responsável pela SUA obra e não o outro. Regue seu jardim, deixe o alicerce bem sólido, capriche no telhado, planeje a decoração e embeleze a sua propriedade; dando o seu devido valor! O outro só habitará a sua vida quando houver terreno ou espaço para tal, não tenha pressa pois além do caminho poder ser bonito, você será o responsável pelo desenho e enchê-lo de cores, sabores e sentidos até a entrega final das chaves.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s